Thursday, May 27, 2010

turbilhão

Essas fases malucas da vida. Meu mundo por uma sombra, um bom livro, e minutos de silêncio e paz interior. Tá difícil. Sem reclamações, já que o momento é de muito trabalho, mas que dá uma nostalgia de tardes no parque ou na praia, de manhãs de ócio criativo, de dias em que a inspiração corria solta e eu escrevia muito nisso aqui. Aiai... É um turbilhão de coisas acontecendo, e dessa vez, elas não estão dando aquelas pausinhas rápidas a que eram acostumadas. Não, estão vindo em série as danadas.
Não bastasse isso, a gente crescer, e aprende que vai somando problemas. No início vem o susto, com a quantidade de coisas nossas, que a vida nova manda resolver, o negócio é que quanto mais você se afasta dos vinte, mais você começa a agregar os problemas de quem está à sua volta: mãe, irmãos, pai, tios, avós, e assim vai...
Já não há tempo para pensar muito em si, pra investir no bem estar, pra dar uma pausa boa no meio da segunda feira, pra escrever sem rumo, como era costumeiro, ainda por cima, a verdade é que se precisaria do dobro de tempo, para além dos próprios problemas, dar conta dos problemas dos outros. Difícil!
Stress pouco é bobagem. Existem os bons planos de largar o mundo cotidiano por alguns dias, mas essa brevidade é lá no ano que vem, porque esse, pelo jeito, vai ter as férias enforcadas, porque finais de semana e feriados ele já nem sabe mais do que se trata.
Vou dizer, espero que os problemas à minha volta, possam ser solucionados como num passe de mágica, se eu puder ajudar melhor ainda, mas confesso, não tenho ouvidos, forças, olhos, mãos, dinheiro, nada o suficiente pra dar conta disso tudo. Mas tenho feito o meu, e me orgulhado disso.
Ah, lembrei, os dois anos de Rio de Janeiro em breve chegam. Eles eram a meta de permanência mínima, caso a cidade não me rendesse nada, talvez partisse pra outro lugar. Pergunta se eu vou partir? Só a passeio mermão - no melhor estilo carioca de ser. Só a passeio mesmo, porque aqui rendeu de tudo, e tá rendendo, e vai render cada vez mais. A distância é sempre obstáculo para algumas coisas, mas eu já aprendi a lidar com ela, e cada dia se torna mais leve.
De resto, no meio dessa loucura boa e cansativa, eu esboço um sorrisso, de quem quis algo, projetou, planejou, teve impulsos, intuiu, foi lá e fez. Ufa, pra mim, não tem coisa melhor que me sentir assim, realizada, e certa de que dei o melhor passo. Dois anos, tudo tão rápido, parece que foi ontem, ao mesmo tempo parece que moro aqui há anos. Loucura total. Muitas coisas vindo aí. Bem que me disseram que esse ano seria assim...como dizer....ah deixa pra lá!

Beijos.

ps: parece que meu livro será lançado dia 23 de junho, mas eu confirmo com mais precisão em breve!

1 comment:

Lu Holanda said...

opa!!! lançamento!!!
orgulho mor Thicah!!!

bjbj