Friday, December 11, 2009

sobre os fins e os inícios [conversas de doido]

Fim de ano. E era um monte de gente na rua. Comprando, consumindo, se estressando. Era um cansaço desses, que só dá pra se livrar indo pro meio do campo, ou da selva. Irrita. Fim de ano é uma coisa que irrita. Pronto, já tenho algo pra responder no Irritando Fernanda Young!

- Sim, fim de ano me irrita!

Foda-se o sapato novo. Foda-se tudo. Será que não dava pra fazer uma inversão aí? No fim do ano todo mundo doava alguma coisa. Ou se doava pra alguém. No fim do ano, todo mundo ia meditar, ao invés de carcar a mão na buzina do carro, de maneira absolutamente arbitrária, e sem resolução! Fim de ano eu mandava todo mundo pra roça, pro meio do nada, viver só com o que de fato necessita - se o mundo fosse meu eu mandava.

Não, sabe que no início eu preferia o início?! Todo e qualquer relacionamento só valia pelo início. A sensação na boca do estômago, de que o mundo vivia alí. Os primeiros olhares, encontros. Tudo novo. Eu era adepta do use, e descarte logo. Uma capitalista do coração. Mas aí, até nisso eu fui me tornando mais, como eu diria, dessa gente que usa até gastar, até furar, se é que um dia fura mesmo. Hoje, que ainda não é no fim - então isso pode mudar de novo - eu gosto é de quando o início nem se faz lembrar. De quando a intimidade é tanta, que você não é ninguém mais, além de você. Gosto de já saber algumas coisas, e já poder muitas outras. Amo a sensação de conhecer alguém, de ter alguém ao lado, por tempo indeterminado. Confesso, que tenho até preguiça do início. Então quando um relacionamento, que já havia ganho a vez da intimidade, chega ao fim, eu até suspiro, mais de preguiça de um novo início, do que de coração partido. É que cansa começar tudo de novo. Descobrir gostos, manias, olhares, sorrisos. Desvendar as entrelinhas. Dizer as primeiras palavras impactantes. A primeira dormida perto. Isso tudo de primeira coisa, hoje em dia, me cansa um pouco, eu gosto de já me sentir à vontade! Será que meu coração anda sedentário? Creio que não, porque ele vive aprontando na meia maratona, só que ele anda preferindo o meio da corrida, não o início.

Início de ano também me irrita, porque todo mundo acha que a vida vai mudar. Porque não acham sempre? Porque o otimismo morre depois do carnaval? Aliás, adoro fim de carnaval. É aí que o povo cai na realidade, e se joga na vida. Mas também começa a reclamar.

Iniciar e terminar um texto é difícil. Uma peça de teatro idem. Uma vida ainda mais.

Início e fim! Vai ver que é por isso que todo mundo sempre prefere o recheio!

beijos

No comments: