Sunday, December 20, 2009

o peso do outro

Estranho isso das pessoas acharem, que têm absoluta noção de quem é você. Todo mundo quer saber mais e melhor que você dos seus defeitos, qualidades, caminhos, tropeços, sensações, opiniões... Acho que é por isso, que eu sinto necessidade de ficar a sós comigo, algumas vezes. Nesses momentos eu experimento a sensação absoluta de ser o que eu sou, pra mim. Sem expectativas, sem promessas, sem máscaras, sem mentiras, sem hipocrisia, sem tentativas, sem necessidades, sem desvios, sem fingimentos, sem desejos...
As pessoas gostam da gente, parece-me, sempre com alguma expectativa a ser alcançada. Nem me incluo fora dessa não, pois sou humana e fadada aos mesmo erros. Mas me irrita ver que as pessoas constróem uma imagem sobre você, e acreditam nela de maneira tão fiel, que mal percebem o quanto você já não corresponde mais aquela imagem. Eu sou a favor de ir me moldando e me adaptando, conforme os ventos, não que inexista uma linha, uma meta, um desejo, mas é possível perseguí-los, sem me emoldurar num cimento quadrado, que me manterá fixa e presa a mim mesma. Sou a favor de que é preciso mudar muito para ser sempre o mesmo. Então porque as pessoas não podem me ver assim?
São essas expectativas absurdas que criam os abismos. Eu vou perdendo a vontade de quem não me vê de verdade. De quem não se importa comigo, apesar de suas expectativas. Quem coloca a sua visão sobre mim, acima de mim, não me nota, não entra na minha vida, e fica sem saber de nada.
É por isso, que eu prefiro passar mais tempo calada que falando. É por isso que eu prefiro ficar na minha, onde eu sei que vai ser mais real e mais sincero. Definitivamente, eu não quero nem nunca quis agradar ninguém. Dificilmente deixarei de fazer algo que eu queira, porque isso será a maior decepção de quem me jura amor. Eu não sou do tipo que precisa de aprovação. Nasci atrevida, e sem ligar pro que os vizinhos pensam. Aliás, eu sempre pensei, se os vizinhos pensam algo ao meu respeito, deve ser porque pensar sobre suas próprias vidas deve ser monótono ou provocar dor de cabeça.
Quer saber, ligar o foda-se é minha meta para 2010. Preocupar-me menos com as pessoas que eu me preocupo, pelo amor que tenho a elas, vai ser um grande passo na minha estrada. A vida é assim, não dá pra seguir adiante, se a gente se prende a culpas e obrigações, que só nos fazem andar pra trás.
2010 que venha leve, mais ainda, e que eu possa seguir em frente, sem levar peso dos outros!

Obrigada!

1 comment:

Fabiana Lazzari said...

Nossa amiga...falaste tudo o que eu descobri este ano...ficar calada é muito bom...sinto-me mais leve também...só nós sabemos o que é isso!
E as coisas aparecem em nossas vidas como um toque de mágica...mas sabemos das nossas lutas!
Sim...que 2010 venha mais leve ainda, sem levarmos o peso dos outros!

Saudades
bjins