Friday, November 13, 2009

o vendedor de laranjas

Tem dias que a mocinha adoraria ser burra! Não ter nenhuma idéia na cabeça, nenhuma inspiração, nenhum grande ideal! Queria acordar e ter a vida simples de um vendedor de laranjas na feira. Não, veja bem, não que o vendedor de laranjas não enfrente durezas da vida, enfrenta, claro que sim. Mas é dessas durezas de pele, de músculo, de estafa. Tirando raras excessões, na sua maioria, a classe dos vendedores de laranjas, não tem tempo para problemas existenciais profundos, não se preocupa com o fato de uma idéia estar nascendo, e muito menos sente as dores do parto. É muito duro o ato de criar. É muito duro ter algum ideal profundo, que motiva e leva adiante o bater de asas. Porque tem dias, que a mocinha simplesmente cansa, estoura, não tem espaço para si mesma. Tem dias que ela se torna pequena, de tão grande que ela se sente. Não cabe no corpinho, toda a "profundeza" que leva na alma, no espírito, seja lá onde é que ela leva!!!!
Quem sabe se ela fosse uma vendedora de laranjas, ainda assim, ela não pensaria na profundidade das laranjinhas. No fundo, ela sabe que deveria ter nascido vendedora de laranjas, porque tornar-se uma seria impossível. Ela, com certeza, se tornaria uma vendedora de laranjas dada às "profundezas", e acordaria com o mesmo peso, todas as manhãs. Teria a mesma sensação de que sobram idéias, sobram atos criativos, sobram pensamentos profundos, sobram sentimentos. E o fato, é que a vida, por mais longa que seja, será sempre curta, para quem como ela, veio com "profundeza" a sobrar...

No comments: