Monday, October 19, 2009

palavreado à toa 2...

Acho que já está na hora de rever meus desejos do ano! Não que eu leve isso tão a sério, porque eu nem gosto de ficar pensando na vida por pedaços de tempo isolados em si mesmos. Não!!!! Masss, de uns anos pra cá tem dado certo essa coisa de escrever, colar, pintar, pirulitar coisas que eu quero, tanto as materiais, como as intocáveis! Naaaada a ver com "The Secret", acredite, aliás odeio esse tipo de obrigação na vida, tipo: pense semmmmpre coisas boas! Credo a gente vira alienado achando que as coisas ruins não devem ser vividas. Se você pensa que um helicóptero cai, se culpa pelo que caiu a mando dos traficantes. Masssss, devo confessar que sempre acreditei, que de fato, a gente projetando dentro da gente mesmo as coisas que deseja, acabamos por alcançá-las, é uma auto hipinose! Bummmm!!!!!!!!!!!
Com certeza eu vou encontrar muitas (boas) surpresas nessa minha lista passada. Coisa que eu não sonhava nesse ano e nem na vida. Mas eu lembro da virada do ano, o vento forte na cara, e o céu com poucas estrelas, mas ainda assim lindo, me olhando, todo pronto pros meus desejos. Eu lembro que eu mais agradeci que pedi, acho que isso fez com minha lista esteja mais repleta de surpresas do que de "alcances", propriamente ditos. Mas eu tinha alguns pedidos, e alguns deles foram devidamente alcançados por mim mesma e pelo bom acaso da vida, que sempre me dá uma força.
Agora a minha lista vai ganhar uns itens mais avantajados, que eu sei que demorarão um pouco mais que um ano, com certeeeeza, mas que acontecerão! Simples assim! E vou deixar várias linhas em branco, só pra todas as boas surpresas continuarem acontecendo, mais e mais.
Esse ano tem sido feliz, maduro, repleto de coisas interessantes, algumas conquistas novas, e caminhos que eu jamais esperei trilhar. Esse ano tem sido musical, e eu posso até brincar de escolher umas cinco músicas que embalaram ele demais! Se tiver paciência faço isso em breve. Aliás esse ano tem sido repleto de paciência, de serenidade, tolerância, coisas que eu detestava exercitar! Ufa!
Algumas certezas sobre mim mesma têm crescido, a maior delas é que ter certeza sobre qualquer coisa de si mesmo, é arriscado e desleal com a própria essência de mudar! "É preciso mudar muito para ser sempre o mesmo" e não é?!
Uma palavra pro ano até aqui? Afeto. Sim, esse tem sido um ano de consolidação de afetos, novos e antigos!
Isso aqui tá parecendo post de fim de ano né? Acho que de certa forma pra mim parece um pouco fim de ano. Tem alguma fase dizendo adeus, pra outra nova fase chegar. Eu já vinha sentindo isso há umas semanas, e agora parece que cheguei naquele momento de precisar dizer tchau pra muita coisa. Fazer o que gente, pessoa meio "bruxa" funciona assim mesmo. Eu sinto quando é hora de dizer adeus. E eu preciso desse ritual, de olhar e dizer adeus em silêncio, geralmente porque eu sei quando é adeus mesmo, e quando é até logo!
Esse ano eu me apaixonei muitas vezes. Primeiro eu pensei: meu senhor, fui invadida pela fugacidade - adoooro essa palavra. Mas que mania de achar que quando a gente se apaixona muito está sendo fugaz né? Pode ser só um coração aberto para as boas coisas da vida, ha ha ha... Pois é, o fato é que todas as paixões se esvairam, e sofri menos que o normal, daí pensei se eu estava virando insensível, e se um era só mais um, ou se eu estava me tornando uma pessoa mais "forte" - até hoje não entendo muito bem essa coisa de pessoa forte, como se não sofrer fosse sinônimo de força. Mas enfim, cheguei a conclusão de que eu não sofri mais tanto, porque aprendi que sou intensa mesmo, que me jogo de cara, que não suporto joguinhos, e que sou feliz assim, obrigada! Portanto quem não tava afim disso, saiu mesmo, e eu sofri o tanto que eu precisava para apagar tudo o que dissesse respeito ao ser que escapou! Há!
A passagem rápida do tempo me impressiona. A minha adaptação ao Rio também. O tanto de vida que passa por aqui, idem!!!!!
Agora tá hiper abafado, e eu aqui pensando num monte de coisas ao mesmo tempo, com um desejo gigante de colocar uma mochila nas costas e ganhar o mundo, depois voltar pra casa e perceber que realmente, aqui é o melhor lugar. Desejo gigante de fugir pra qualquer lugar deserto, levando pouquíssima gente na mala, e passar lá uns dias! Desejo gigante de um dia ser mãe, na verdade um dia que não pretende ser mais além que daqui no máximo cinco anos! Desejo gigante de tantas coisas.... Ainda bem!
Feliz com a vida independente, finaceira e "familiarmente". Tem gente que se enfraquece morando longe da família, no meu caso, como eu sempre suspeitei, virou força total. Cuidar de mim mesma, ao invés de me fazer sentir sozinha ou largada no mundo, faz com que eu me sinta mais segura, minha auto estima vira pica das galáxias, e eu sigo mais "forte" - olha a força de novo. Sei lá, comprar o remédio na farmácia, trocar a lâmpada, saber como se virar de madruga sozinha precisando voltar pra casa, pagar conta, fazer supermercado, dar jeito pro dinheiro ter o tamanho do mês, viajar com os amigos, chegar em casa e encontrar o silêncio, a roupa suja, a geladeira vazia, são coisas, entre tantas outras, que te lembram que no mundo, no fundo no fundo, você tem é que se amar, porque é com você que você vai poder contar, de verdade, até o fim! Bonito né? E bem babaca também! Mas é claro que sente-se falta do aconchego do lar da mamãe!
É o que temos para hoje!

No comments: