Tuesday, October 20, 2009

atrasada

Estou vivendo um dos momentos mais bizarros da minha vida. Vertendo poesias, palavras, sensações, e tudo o mais, por um amor antigo, que não teve sua dor vivida no tempo em que se perdeu de mim. Agora a ficha caiu, depois de tanto tempo. A ficha de que eu projeto você em todos os outros que eu conheço, pelos quais me apaixono, ou tento me apaixonar. Espero deles tudo o que esse amor marcou em mim. Espero que me façam tão feliz, que me provoquem o que me provocava, que sejam tão leves quanto, que se pareçam. Bem que muita gente sempre encontra semelhanças suas nos meus amores que vieram depois...
O mais bizarro é que só agora a ficha caiu e eu me dei conta. Acho que eu me enfiei de cabeça em histórias complicadas seguidas da nossa, propositalmente para não precisar encarar a realidade, e só agora que resolvi todas elas, parei pra perceber o quanto eu precisava ter escrito, ter gritado, ter chorado, ter colocado pra fora o que eu guardei abafado, dentro do peito. Sentimento quieto e parado é o pior de todos, e digno de desconfiança.
É com um atraso de anos que eu venho escrevendo compulsivamente pra você, mas é por mim que o faço, pra poder seguir em frente. Assim espero, daqui um tempo, não esperar você em todo o abraço, em todo o beijo, em todo o olhar. Espero não esperar as suas piadinhas, o seu charme, a sua olhadinha sexy, o seu sopro ao pé do meu ouvido. Vamos ver se dá certo. Pelo menos eu já diagnostiquei o problema, é o primeiro passo.

Olha o que esse blog tá virando, um papo de gente maluca. Desculpa gente, em breve eu volto a postar normalmente, falando de coisas mais poéticas e usando menos o tom de diário. Mas por hora, é o que minha alma vem pedindo!

Beijos.

1 comment:

Misterious girl said...

isso que é declaração de amor!
vá atrás dele e te alivie!