Tuesday, July 14, 2009

a metafísica do amor

Estranho não te conhecer, e mais estranho ainda te saber tão bem. Me vens como certeza em alguns momentos, e eu quase consigo tocar. Uma vez, em sonho, senti teu perfume. É estranho que dependendo do momento, tens um rosto, uma forma, noutro outras formas, outras caras, mas és sempre a mesma essência. Então eu penso que alguma hora iremos nos encontrar e reconhecerei em ti, toda essa sensação de estar em casa, toda essa doçura, todo a leveza. Experimentaremos nossos sorrisos, nossas frases interrompidas por olhares, nossas mãos entrelaçadas. Saberemos que nos somos, porque já andamos nos encontrando tanto pelos ares, mares, e pensamentos, que na hora que nossos olhares avistarem-se, teremos a certeza de que somos eu e você!
Só um pedido: não demora muito, porque eu já sinto saudades do que ainda nem chegamos a ser...