Monday, July 06, 2009

comendo as coisas vivas todas

doce de abóbora escorria pelo canto da boca
o telefone tocando e ela não querendo atender
a brisa lá fora sorrindo
tudo parecia lhe sorrir escancarado
a vida
regou seu cactos e lembrou saudades
outro dia sonhara que ele havia se partido
certo que era seu coração todo partidinho de ausência
sorriu mesmo assim
eram ausências presentes
um presente
no presente
ali fincou o pé
no único solo que realmente poderia caminhar
agarrava-se a tudo o que lhe parecia vivo
engolia todas as coisas vivas que podia
mastigava tudo
até o fim
criava dentro de sí um monstro
um monstro de belezas
um monstro que vivia ali hibernando até tomar o corpo de poder voar
era um monstro de asas escondidas
ou melhor
armazenadas
só saíam dali quando realmente fosse necessário voar no céu
porque no chão ela já voava horrores!!!!

1 comment:

said...

eu não consigo dizer nada além de que ficou bom, muito bom ahahahaha