Thursday, June 18, 2009

no ritmo

Tome tento moça. Tome tempo. Logo volta o frescor. Logo o céu se abre. Repare bem. Não há nada aí fora, vindo da natureza, que não tenha tempo pra tudo. Que não espere. Que não desabroche na estação certa. Naturalmente não se tem maçã o tempo todo, nem cenoura, nem batata. Nem fina flor. Depende do tempo, depende da terra, depende do mês. Depende de quem ara. Mas uma hora brota a folha nova. Só não brota quando já morreu. Tome tento moça. Tome tempo. Assoprar o vento é chover no molhado. Deixa passar a brisa. O vento. O temporal. Molha a cara. A capa. A boca. Bebe a água. E depois explode. Depois foge. Depois fica no mesmo lugar. Logo bem ali já vai ser tempo de dançar. No meio do asfalto. Sem salto. Em pé. Tome tento moça. Tome tempo. Acalme o coração. Toda nota tem sua hora. Todo acorde segue o som. Manter o ritmo é mais certo que acertar. Manter a dança mesmo errando. O importante moça, é não parar. Tome tento. Tome tempo. Tome fôlego, que uma hora há de dar!!!!


Improviso inspirado na aula de violão. Seguir o ritmo mesmo que perca o acorde, é isso que faz um dia a gente acertar!

To inspirada.

3 comments:

Raquel Stüpp said...

foi pra mim esse texto????

orrax....

loveiei ele.

said...

Ameeeei! As coisas teem que seguir seu tempo, teem que acontecer naturalmente (:

Beatriz said...

Seu texto tem um embalo, tem sonoridade... ai que delicia!