Saturday, April 25, 2009

amigas

Nas prateleiras do supermercado procurava a melhor dose de alegria para o momento. Só ela sabia há quanto tempo não se viam, e a saudade gasta que carregava no peito. Já tentava prever as gargalhadas, as piadas, as histórias mil que teriam pra compartilhar pela noite afora. Chegava a coçar o estômago. Compartilhavam tantas e tantas delicadezas, tantos detalhes, tantas palavras aleatórias, que somente entre elas faziam sentido. Na doce confusão do álcool, já tinham chorado amores perdidos e achados. Já tinham escalado escadas de cozinha, lavado cabelos em poças d'água, e guiado carros desconcertados. Gastavam horas ao telefone, dizendo coisas repetidas, sempre com sabor de novidade. Trilhavam em passos de leveza, aquilo que haviam cosntruído numa mistura de descuido com amor. Aquilo que cultivavam com respeito e alegria. Sorriam ao refletir o sorriso alheio e o mesmo o faziam nas lágrimas. Seguravam-se. Quando longe, andavam perto, em pensamento, em hamornia. Tornavam-se velhas, jovens, loucas, corretas, caretas. Olhavam pela mesma janela, sem nem saber. Sabiam-se sem nem contar. As palavras dispensavam, quando no silêncio do olhar liam-se mais do que a qualquer outro. Era um prazer poder andar pelas ruas sabendo que tinham uma a outra, sobretudo, e acima de qualquer interpérie. Lembravam-se das poucas discussões sérias, dos muitos cafés duradouros, dos porres psicodélicos, das roupas escolhidas, dos favores feitos, embrulhados no laço do carinho. Aquilo era uma espécie de amor eterno. Eram amigas. Eram escolhas. Faziam-se saudade. Mas hoje, hoje iriam sorrir e tontear-se no sofá de uma delas, dançando ao som de alguma coisa que veriam no dvd, alguma coisa que servisse apenas como pano de fundo, pro melhor capítulo da série, que elas juntas, escreviam a cada dia.

Às minhas melhores amigas.

2 comments:

Raquel Stüpp said...

ai
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

zumbi hiperativo said...

sabe que tava pensando em ti e na quel agora mesmo? ouvi a nossa musica da vanessa da mata - alegriiiiiiiia e lembrei de como me fez sempre bem estar com vcs. li teu email tb, e veio pra mim no momento em que eu mais precisava. acho que isso tem a ver com o amor, essa telepatia mágica, esse abraço de longe, essa coisa toda que se encaixa.
bom te ter na vida, mesmo que a km de distancia.
um beijo