Thursday, February 12, 2009

novo nascimento

não se sabe exatamente qual a sua cara
a sua cor
que jeito andará pelo mundo?
e de que forma será a voz
pelo que irá gritar?
um mergulho no escuro oco
silêncio
salto do abismo
a gestação infinita
pés na estrada
não se sabe do início o fim
parte do que sai e cria
parte do que funda
inquieta atitude de quem inventa
inventa a própria vida
o próprio eu
a própria saudade
nascimento e morte
a cada adeus do que fica eternamente
um olá para aquele que um dia ficará para sempre
as dores do parto que doem no ego
o ego que infla como útero
a mão que impede de sair voando
o olho que chora e sorrí
dói
é mel
seduz
seduza-me para que tenha o direito de ficar
tantas opções
jaz a liberdade
inquieta
só se sabe que é o primeiro ato
o primeiro ator do ator (já diria meu amigo poeta)
é o nascimento
e a cada novo
sempre parece que já nasce morto
mas num rompante
numa veloz lágrima
eis que surge
vivo
em matéria e espírito
a nova parte de sí mesmo
tão doce e tão amarga
jamais será o mesmo
agora é mais um

marina monteiro

1 comment:

Fabiana Lazzari said...

Além de escritora e atriz...poeta!
Essa mulher é tudo de bom!
Sou tua fã de carteirinha número 1, OK!!
bjocas com muitassssss saudades.
AMO.