Wednesday, February 25, 2009

futuro do pretérito

Existe alguma coisa alí, entre o ser senhor do próprio destino e o esperar o tempo certo, alguma coisa que faz toda a diferença.
O tempo mesmo é o meu maior mistério. Certas coisas demoram tanto, e quando chegam são tão repentinas, que acho que nem esperava mais. Ao passo que outras fluem de maneira tão leve, que eu nem entendo. Não sei o que a vida às vezes tenta me dizer, se é que tenta mesmo, ou eu que coloco palavras na boca dela. Certos caminhos são mais longos. Será um teste?
Em tantos momentos o tempo parece estar zombando com a minha cara, e me remete ao passado, só que no presente. Entre tanto tempo que já passou por baixo de algumas pontes, parece que águas antigas tendem a se misturar com águas novas. Se pelo menos elas se tornarem renovadas, tá valendo. O fato é que mesmo tendo corrido por outros vales, a vida sempre se encarregou de manter alguma parte de mim em contato com um retrato antigo em movimento. E mesmo que houvesse me entregado a tantas ondas novas, que de fato me embriagaram, ainda assim, nada foi forte o suficiente pra me levar, embora eu estivesse bem solta.
Passado um certo tempo, e lá me vejo eu, ou aqui me vejo eu. O passado, meio futuro, vindo ao meu encontro, numa certa estranheza do não saber de nada. Embora seja conhecido, é totalmente desconhecido e novo. E eu me pergunto, depois de tanto tempo, tantas águas, tanta poeira, tantas novas histórias, como pode o tempo se encarregar de refazer encontros dessa maneira?! É destino? É o tempo que agora é certo? É o quê?!
Palavras do ano: paciência e fé!!!

1 comment:

Mariana SCHMITZ said...

Gostei das tuas palavras do ano!!! Vou pega-las emprestadas para coloca-las ao lado da minha primeira palavra do ano: motivação!
Tudo de bom ae queridona!!!

posso pegar a leveza emprestada também???? ando precisando!!! hehehe

bjuuuus!!!