Saturday, February 14, 2009

diário

No Rio só refresca se chove, pelo menos nessa época. Então se a gente reza pra passar um pouco o calor, já leva o guarda chuva na bolsa, porque certo que chove!!!

Época de carnaval e essa cidade surta. É bloco pipocando por todo lado. Gente que não cabe na rua. Fantasia. Música. Na semana dita mesmo, bah, nada se coloca em prática. Eu como não curto carnaval, acho tudo um belo saco. Esses blocos cheios de gente bebum e suada, com bafo e olhos de: quero pegar qualquer um. Esse clima, vamos ser felizes a qualquer preço. E essa coisa de: ui vai ficar em casa, que deprê!!! Definitivamente eu deveria ter nascido na Europa, porque esse clima tropical, vamos botar uma tanga, beber e dançar um mês inteiro, não faz parte de mim. Mas estou conhecendo um outro lado do carnaval mais de perto. O das escolas de samba, e confesso que to gostando. Desfilarei, e a emoção, já nos ensaios, é grande. Ali sim existe um certo propósito. Uma comunidade torcendo e lutando para ganhar, embora a gente saiba que é tudo movido pelo tráfico, pela corrupção e por todo o xalalá que já conhecemos. Mas ainda assim é bonito, menos selvagem, e mais interessante que todo o resto. Mas paro por aí. Definitivamente eu não gosto de datas pré estabelecidas para ser feliz. Gosto da felicidade cotidiana, aquela mais espontânea. Detesto carnaval. E que o ano comece logo pra maioria, porque o meu já começou faz tempo.

Ultimamente tenho ido muito ao cinema. Uma forma clara de fugir do calor - sim os cariocas tem o dedo descontrolado, e qualquer ar condicionado aqui provoca um frio polar - e de distrair a mente que ultimamente só trabalha. E tenho visto filmes muito bacanas. Indico demais o "Foi apenas um sonho" e "Coraline e o mundo secreto", que aliás não é de direção do Tim Burton, assim como o Estranho mundo de Jack que só tem o Tim como produtor, o diretor é o mesmo de Coraline. Mas voltando aos filmes. Coraline é lindo, pura imaginação, cores fortes, temas profundos, desenho pra criança e adulto, cada um capta o que lhe cabe, e eu adoro aquilo que não se faz de rótulos e não determina guetos. E o cara do cinema achou engraçado eu comprar ingresso pra desenho sem ter uma criança ao lado, mas a platéia dava pra contar as crianças nos dedos. Bom saber que adultos andam ficando espertos!!! O Foi apenas um sonho me gusta mucho. O roteiro, o tempo, a sensação que causa. A Kate Winslet (nem sei se é assim que escreve) é tuuuudo nessa vida. Ô atriz filha da mãe. Vi outro com ela "O leitor". Achei o filme meio previsível, eu já sabia o que ia acontecer bem antes de virar fato na tela. Mas a Kate está absolutamente genial. Fiquei ainda mais fã. Adoro atriz assim, plena, profunda, densa, mutante. Ah, vi o tal do "Button". A maquiagem é do cara...os atores estão bem. O roteiro é bacaninha e tem momentos lindos. Falas que tocam e imagens idem. Um filmão pra Oscar, o que me causa certo asquinho às vezes, mas esse até que mistura um certo requinte de um filme mais autoral. Mesmo assim é filmão, tem seu valor, mas ainda assim carrega o peso do "ão". Mas gostei também.

Ps: vou a falência com a quantidade de bons filmes estourando por aí. Ainda quero ver Dúvida, Verônica, Che, O casamento de Rachel e por aí vai....

A minha bicicleta nem foi acoradada da garagem ainda. O tempo, ou a falta dele, anda me consumindo. Mas logo volto a colocá-la em ação.

De posse de duas missões novas: fazer um texto até o meio de março (vou surtar); e criar uma nova personagem.

No meio disso tudo ainda tem o "a" em Curitiba [obaaaaa]; um texto pra Floripa; e outras coisas que vem por aí....

Hoje verei a peça da Marieta e da Andréa, depois digo o que achei. Ansiedade.

bjos

[um post meio diário de bordo, pouco comum por aqui].

No comments: