Tuesday, January 13, 2009

arte.atriz

Que eu sou profundamente apaixonada pelo que eu faço não restam dúvidas, mas será que esse desejo de construir um caminho sólido e reconhecido como atriz, não atendem meramente à minha vaidade e ego - digo pura e somente?! E meus anseios artísticos onde ficam? Terei tempo de praticá-los? E aí não digo a respeito de certa estética ou linguagem, mas sim de algo que retorna e multiplica. Cada vez mais sinto necessidade de colocar minha arte em relação verdadeira ao outro. Não um espectador pura e simplesmente - embora isso não seja simples nem banal -, mas sim em relação a algo maior, que tenha consequências mais "reais".
Sempre tive grande flerte com as pessoas que fazem algo maior pelo mundo, pelo mundo em que vivem ao menos. Esse tipo de atividade sempre mexeu fundo com a minha alma. Sempre me imaginei fazendo da minha arte um meio de elevar pessoas, tirá-las de suas visões, muitas vezes reduzidas da vida. Sempre imaginei algo maior. Agora me pergunto se ando por esse caminho?! 
Sim, sendo atriz posso alcançar isso tudo de alguma forma, mas sempre me parece muito pouco. Muito mesmo. Não é questão de desistir ou não, mas de somar. Faz tempo  que venho pensando que só ser atriz talvez não me satisfaça a vida inteira. Sempre fui resistente a dar aulas, mas o fato que mais me irritava era ganhar a vida assim. Prefiro garantir meu sustento trabalhando minha arte de outra forma, mesmo que seja imperando minha vaidade e meu ego, no caso. Mas as necessidades que tenho para com minha arte, e aí falo aquela que grita em mim desde que me conheço por gente, devem culminar noutro tipo de ação.
Sinto cada vez mais que anda na hora de devolver pro mundo o que o universo me tem oferecido, ou eu o tenho feito me oferecer. Não sei a forma ainda. Não, não, não vai ser me enfiando em uma escola porque eu sou muito anárquica para isso. E porque sou contra a idéia de impor teatro aos alunos. Dar aulas de teatro para alunos, visivelmente avessos à coisa, sempre me transtornou. Não me parece correto impor arte a ninguém, até porque ela já existe em todos, e a melhor forma de descobri-la não é impondo-a.
De alguma forma preciso encontrar o meu jeito de...não é fazer caridade, mas elevar a minha arte para além do meu bel prazer. Além da minha vaidade de ser uma grande atriz. Consigo separar muito bem essas coisas. Nem sempre como atriz me sinto artista. Mas sempre como artista me sinto ser humano. E preciso dessas duas versões. Preciso da atriz que quer experimentar todas as linguagens, e exercer bem um papel para seu público. Preciso da atriz que percorre o reconhecimento de seu caminho e busca os holofotes. Mas também preciso da artista que desperta o ser humano que vive aqui. Dessa que vê o mundo um pouco além e sente a necessidade de passar isso adiante. De transformar alguns contextos. De poder resgatar artistas escondidos por aí. 
Apresentar a arte como possibilidade de vida, e acordar aquilo que já existe em todos, embora alguns nem desconfiem. E são esses que não desconfiam que me interessam. Enfim...pensamentos soltos. Mas tenho pensado muito a respeito. Eu gosto de possibilitar meios para que as pessoas evoluam. E quero elevar minha arte a esse caminho. Também tenho meu lado atriz que clama atenções, e que vai num camino oposto ao meu lado espiritual tão saliente nesse momento. Essa coisa de mito, de platéia, de personagem, de vaidade, de ego, tão inerente ao ofício do ator, vai de encontro com meu momento de silêncio, de plenitude, de espirutualização. Por isso sinto que pra equilibrar a balança, o caminho é exercitar meu espírito e minha arte, aquela que grita na minha essência, em paralelo. Conquistar um lado mais inerente ao mundo, ao todo. Me sentir artista também, naquele sentido que não carece tanto da vaidade. Naquele sentido que tem paciência. Naquele sentido que sabe ser sua própria platéia por enquanto. Naquele sentido que se satisfaz muito mais ao possibilitar o crescimento de outrém, do que seu próprio - mas no entanto naquele sentido de saber que assim cresce junto e muito mais, talvez!!

Enfim....ou ando lendo muito, ou realmente entrei numa fase, vamos meditar povo do meu Brasil!!! ha ha ha...

No comments: