Monday, September 22, 2008

uma história nenhuma

Então, sinceramente, a moça, agora com mais rugas que antes, andava pela estrada de pó, poeira, vento. A mala vinha sendo arrastada, mas nos últimos metros ela se perguntava para que as roupas e pertences no meio do deserto e do silêncio da alma e do lugar?! Arrastava a mala, como quando a gente arrasta coisas sem saber porque, ou pelo apego, porque o braço já tinha se acostumado com o peso, com a dor, com o cansaço...

[tão difícil largar pelo caminho, coisas que antes nos eram tão necessárias e importantes...pessoas...]

Olhava a árvore que mexia as folhas submissas ao vento, e pensava, quantas vezes havia se negado a se submeter às suas próprias vontades? E se deixado ir, mesmo que não parecesse certo, ou bom. O sol rachava a pele, preteando, suando, causando sensação de cola. Os lábios presos um ao outro, colados pela sede e pela ausência de palavras. Conversava consigo, mas já não usava a boca há muito tempo, e por vezes até se esquecia de ter tido uma...

[o silêncio fala mais às vezes, quando não cala, ou interrompe...]

Estava pouco preocupada em correr, já que não esperava mais nada, e ao contrário do que pensou um dia, esse tipo de esvaziamento aliviava, permitia leveza, e soprava ao pé do ouvido um instinto de liberdade, que quase tirava os pés do chão. Então andava, com passos firmes, diferente dos que se arrastavam, como ela um dia chegou a fazer. Andava sem nenhuma expectativa do outro lado da rua, nem mesmo do horizonte logo alí.

[continua como a vida...

2 comments:

Emerson Cardoso said...

Minhas idéias moram dentro de ti... portanto, o que escreves é meu também.. nem vou pedir licença... ctrl+v + ctrl+c... beijo!

Mariana SCHMITZ said...

oi marinaaa!!!
então, cada um segue o seu caminho em busca de seu espacinho... se pensas em sair do brasil, ja vai pensando beeem antes, principalmente se for pra Espanha, pois la ta pior que o Reino Unido...!
Essa União Européia fechou o cerco meeesmo pra imigração, a situação mudou muito de uns anos pra ca...
Mas, aqui estamos nos, estrangeiros, latino-americanos e o resto do mundo todo, se esgueirando pelos aeroportos e aduanas, procurando um lugar ao sol do euro...
ai ai...
espero que ae no Rio o sol esteja brilhando pra ti, apesar dos pseudo-atores...hehehe!
Tudo de bom lindaaaa!
bjuuuus