Sunday, August 31, 2008

um post mal educado

A única coisa que eu tenho na mala é a minha inspiração, os meus sonhos e o que dizem ser o meu "talento", coisas que definitivamente, não viram moeda de troca nesse mundo hostil. E ultimamente tenho pensado no que fazer comigo e com a mala. Jogo ao mar e saio partida para outra dimensão? Corro pela estrada afora carregando a mala que às vezes pesa muito? Abro a mala e acredito na possibilidade de que algum desses conteúdos faça sentido? Esqueço a mala embaixo da árvore?
Cansei, definitivamente cansei de elogios!!! Peguem todos eles e enfiem no *@#$#@#$&**(*^^%$...

Monday, August 25, 2008

final do volei

http://videolog.uol.com.br/video.php?id=361194
http://videolog.uol.com.br/video.php?id=361221
http://videolog.uol.com.br/video.php?id=361245
http://videolog.uol.com.br/video.php?id=361285

Sunday, August 24, 2008

BEIJING 2008

Como uma boa viciada em vôlei - vôlei feminino particularmente - sou obrigada a dizer que estou em êxtase!!! Campeãs no Grand Prix e nas Olimpíadas 2008, coisa linda, que orgulho!!! Muito ví as "meninas do Brasil" perdendo jogos que estavam praticamento ganhos - se bem que isso no esporte não existe -, muito ví as medalhas quase certas escaparem das mãos, e elas choravam, eu me irritava, xingava horrores, como se a TV deixasse a minha voz vasar. No Pan do ano passado eu fiquei tão indignada que até prometi pra mim mesma que não as acompanhava mais...
Jura né?! Sábado, pós aniversário, de ressaca e lá estou eu acompanhando as tais moças, que desta vez me pareciam diferentes, com a mesma boa técnica, o mesmo grande potencial, mas mais aperfeiçoadas, e acima de tudo centradas e unidas. Sem dúvida nenhuma o melhor grupo que o Brasil já teve.
Sim, eu sou meio brega mesmo. Eu choro ouvindo o hino, chorei junto com elas por essa vitória histórica, pro vôlei, pras mulheres e pro Brasil. Depois de acompanhar tantas derrotas justificadas por um destempero emocional que era evidente, depois de muito me irritar, lavei a alma vendo-as mostrar ao mundo inteiro que o melhor vôlei vem daqui mesmo, do país do terceiro mundo.
Muito injustiçadas às vezes, porque a imprensa nunca deu muita "bola", só existia a seleção masculina, mesmo agora, a prata deles é mais comentada que o OURO delas, tsc tsc. É verdade que a falta de capacidade de aguentar as pressões era um defeito grave, mas que com o tepo foi solucionado, o que nunca achei certo foi duvidarem da capacidade técnica das jogadoras, porque o resto do mundo inteiro reconhecia o quanto o nosso vôlei era superior técnica e táticamente, só a gente que não via. Eu me irritava justamente porque via como elas jogavam de maneira superior e na hora H deixavam escapar por besteiras. Besteiras que custaram caro, pra umas mais que pra outras...mas hoje...
Bem brega esse post, mas fazer o que, eu sou ligada em esporte desde nova, e só não me tornei uma jogadora ou atleta, porque o teatro veio com tudo e me levou, mas de alguma forma o esporte faz parte da minha vida, como jogadora de fim de semana, como espectadora, como fã mesmo. Todo mundo acha bizarro, porque nesse mundinho pseudo cult dos atores, o bacana é beber, fumar, ler muito e ir pra badalação, eu faço isso tudo, menos fumar claro, e mesmo assim gosto de correr, pedalar, jogar vôlei e futebol (aham), e não consigo viver alheia aos momentos que o esporte proporciona. Adooooro olimpíadas, acompanho ao máximo e queria que fosse todo ano!!!!
Aliás falando em Olimpíadas, já está na hora do Brasil acordar para suas mulheres, que bravamente protagonizaram estes jogos de 2008, e tiraram o foco dos barbados de plantão, que não vêm demonstrando a mesma garra!!!!!

OURO BRASILLLLL!!!!

VIVA AS MENINAS E VIVA MAURREN!!!!

Friday, August 15, 2008

o tempo

Esses momentos que antecedem a passagem de um ciclo fazem pensar...

O tempo passa rápido, e ao mesmo tempo não. A gente é que às vezes tá tão a frente, que não vive, que deixa passar. Quando viu já foi. A foto de um ano atrás parece antiga. O amor de um ano atrás parace estranho. A ruga de um ano atrás se multiplicou.
A saudade que a gente sentia a um minuto, já virou outra coisa. Saudade no começo dói, dói na garganta, no estômago e no coração. Depois ela vira uma espécia de necessidade, de ver e falar com as pessoas, ou estar nos lugares, muito urgente. Mas chega a fase em que a saudade começa a ficar distante, e a gente vai se acostumando. Bem pior. E a gente sente saudade da saudade que sentiu um dia. Agora o que vai ficando é vontade, vontade de estar com tal pessoa, em tal lugar, fazendo tal coisa. Uma vontade tão forte que se a gente pudesse, se teletransportava. E mesmo assim, já não é mais saudade. Porque agora você já pertence a outro lugar mesmo. Começa a pertencer a outras pessoas também. Agora quando você estiver no lugar da saudade de outrora, sentirá saudades do lugar de agora. [rimou]
Vida muito louca. Muito louca.

E o que mais me causa estranheza, é mesmo a estranheza que resta entre pessoas que um dia foram........


Quando a paixão acaba, resta alguma coisa?








Vamos lá que o barco segue e o horizonte é demasiadamente lindo!!!!!

Thursday, August 14, 2008

"intuitismo"

A tal da intuição. Eu sempre acho que já estou totalmente "treinada", ou habituada a segui-la, mas a vida vem e lembra que sempre tem algum setor da própria vida que não está sendo invadido por ela, ou algum canto do cérebro que não está sendo regido pela tal...
E por pura besteira, ou mania de crítica, ou medo, ou mudança repentina na vida inteira, ou mecanização...mas tudo bem, de fato quando se muda muita coisa na vida, as coisas viram de pernas pro ar mesmo!!!
Acho que eu deveria era ter colocado a intuição de pé primeiro nessa arrumação de "casa". Mas eu priorizei outras coisas. A ansiedade eu priorizei muito, digamos!!!! E é um alívio ter deixado, finalmente, a intuição ocupar seu devido espaço. E junto vem a leveza, a clareza, os canais abertos. A gente abre os olhos e percebe as almas afins, as energias que dialogam, os possíveis novos parceiros de arte, os caminhos novos, as mil e duas possibilidades.
A gente volta a estar em cena de verdade e pensar com o corpo todo.

Demorei?!

Mas pensando bem não né...porque a intuição vem sempre na hora certa...ou pelo menos na hora que a gente intui!!!