Thursday, May 01, 2008

a calçada.

Na outra parte da calçada, que poderia ser o outro lado, despediram-se, assim distantes mesmo. Há quem diga que despedidas devem ser realizadas ao longe...
Os olhos se cruzaram inúmeras vezes, sempre imprecisos. As mãos procuravam-se, frias de medo e indecisão. A rua que os dividia parecia como um abismo desses nos quais a queda é fatal. Portanto, pés bem firmes ao chão e bem longe da beirada do meio fio - meio fim.
Malas, malas, e muitas malas de um lado. Do outro uma mochila surrada. Alguem ali ia para um novo mundo, o outro ficaria no velho. Quem havia decidido ir embora? Não se sabe. Talvez os dois. Cada um a sua maneira.

No comments: