Thursday, April 05, 2007

fraternidade

Falta verticalização, falta aprofundamento. A atual organização humana tem tendido à superficialidade, ao raso, à fuga. As pessoas ficam, e fogem do envolvimento. As pessoas colecionam contatos, e carcam pé da palavra "melhor amigo". As pessoas estimam, simpatizam, acham gente fina, mas não amam.
Não é difícil de entender, posto que toda verticalização exige, consequentemente, responsabilidade. Citando a boba raposa do pequeno príncipe: tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. E as pessoas fogem, confundindo [muito oportunamente] a responsabilidade com prisão. Incluindo a melhor lorota: mas quem é amigo de verdade não exige nada em troca.
De fato não exige, mas pensando na entrevista que eu ví outro dia na gnt, o Marcos Caruso dizia: eu prefiro os fraternos aos generosos, porque os generosos fazem por um tempo, os fraternos são!!! Já diria Clarice, que ser é mais importante. E no ser não cabe a palavra prisão, no ser não cabe o medo de cobranças, no ser não cabem as pré-ocupações das mentes tão fúteis e medíocres do mundo atual.
Eu prefiro os que amam, os que são, os que se entregam. Os que me falam de liberdade [fiz parte desse time a bem pouco tempo atrás], geralmente encontram-se presos. Presos às próprias normas, aos medos, às encanações, aos traumas e às superficialidades da própria vida.
Troca-se um olhar por um msn, e perde-se um abraço e um beijo de lambuja. Prefere-se um oi orkutiano, do que um estou contigo pro que der e vier ao vivo. Aliás, cada um sabe de sí não é mesmo? Poucos tão, e quase nenhum pro que der e vier - ou melhor, pro que vier tem muitos.
As pessoas mais legais são as que não cobram, são as que não sentem saudades, são as que esquecem de ser amigos, e se tornam companheiros de noitadas e farras, esporadicamente marcadas por intensidade de sentimento. Os amigos mais legais são os que não nos conhecem, e portanto, não nos desvendam num simples olhar. São os que não sabem do nosso passado, e aqueles aos quais a gente não tem o sentimento de dívida - responsabilidade seria o termo certo. Os melhores amigos, são os que não são espelhos de nós mesmos, sempre nos impondo aquilo que somos e muitas vezes não gostaríamos de ver. Melhor lidar com quem nunca vai me exigir nada a mais do que eu possa dar. Melhor lidar com o morno, do que com a vida verdadeira em seus picos de emoção.
Uma realidade rápida, passageira, fugaz. Um tempo de ir trocando de amigos. A regra é o teor de verdade. Uma fase para ser livre, livre de uma liberdade presa, pelo mesmo desejo de ser livre. Oi?
O "eu te amo" nunca foi tão fácil e tão rápido, pena que tão falso. O "te cuida", "tu quem sabe" e "fica bem", nunca foi tão usado. Já o "eu cuido de você", "eu sei" e o "vou te ajudar a ficar bem", foram considerados antiguidades sem propérios. Inutilidades. O mundo voa. E com o vôo do mundo, o ser humano [ no sentido de ser um humano] passa rápido, tão rápido que ninguém entende. E já diria Clarice que ser ultrapassa todo o entendimento.
Ligar pra saber como a pessoa está? Assim, sem querer pedir favor, ou sem precisar de um desabafo? É coisa rara, que nem arara na floresta. A mão estendida, por si só, bah!!!? Gente que a gente olha e sente com todo o coração, que realmente está ali ao lado, em alma e corpo [as ciências modernas não gostam da divisão, nem eu, mas é só pra entender], é quase uma relíquia.
Pessoas fraternas. Nunca tinha parado pra pensar, mas são elas que fazem falta nesse mundo de cão. Não é quem mata, não é quem rouba, não é quem maltrata que comete o maior crime. É quem passa pela vida, tão aprisionado ao EGOísmo que não se dá conta, que o grande lance e aprendizado, está em não ser o único, e em ter outros para trocar a própria vida!!! Se fosse pra ser uma relação entre você e você mesmo, viria uma cápsula junto, destas que isola.
O que resta? Os fraternos que se encontrem.
E que se distanciem dos livres, estes andam me dando agonia tamanha a prisão.

1 comment:

meco said...

vim assinar ak... eheehhehe
gostei mto do texto, como de tudo ak...
que maravia a proposta de fotografar! eu fotografaria o seu sorriso, não é mesmo!!!

bjão sempre sempre...
programo-me para-te visitar-te te