Sunday, October 29, 2006

apaixonadamente


Sou uma pessoa movida à paixão. Ok, podem rir, achar brega, aracaico, romântico e o diabo a quatro, mas sou assim e assumo.
Não gosto de fazer da minha vida uma destas fichas que preenchemos pra cumprir burocracia. Nunca me preocupei com o tempo certo para nada, sempre segui meus instintos. Nunca fui dessas de embarcar na canoa do mais ou menos, só pra correr menos riscos. Não!!!
O meu trabalho me apaixona, me fascina, me encanta. Às vezes me atormenta, me desarma, me desaba, me faz ficar triste e ter as crises mais gigantescas da história - minha -, mas ainda assim, faz meu coração disparar de emoção, dá sentido a minha existência, e mesmo, faz esta existência não ser tão humilde.
A Clarice também me é apaixonante. Faz com que eu siga a vida leve, embora às vezes dê um certo peso. Quando leio suas palavras, eu me desabo em mil Marinas, seja por rir descontroladamente, por chorar, ou simplesmente por pensar que sim, eu existo e vivo verdadeiramente.
E assim, vai com tudo o que me fascina. Não gosto de mornidão - como já tanto disse. Talvez muitos pensem, "esta menina vê filmes demais, lê demais, sonha demais"... Pensem o que quiserem de novo, sou mais a minha estrada de amoções vulcânicas do que um caminho simples, reto e fácil, cheio de flores aos lados.
Nessa incoerência coerente de buscar estar apaixonada e viver a vida com fervor, encontra-se espinhos grandes, dos maiores eu diria, mas me dá um prazer arrancá-los dos meus pés. Sinto uma dor que faz bem, posto que depois dela vem a satisfção de poder seguir em frente, sempre com o brilho nos olhos de quem vai aos extremos - e gosta disso.
Sou apaixonada por escrever, e isso fica claro na minha compulsão por textos enormes e pelas infinitas descrições dos meus estados de humor. A vida pra mim, tem que ser intensa, tanto na diversão, quanto na falta dela. E isso pode parecer meio filme, meio teatro, meio atuação, mas enfim, assim sou feliz...
Não gosto de viver a vida um dia após o outro como uma simples cidadã que preenche os requisitos. Gosto de viver como se estivesse sendo filmada, vista por um público gigantesco. Como atriz, sou péssima nos ensaios, só sinto prazer pleno na hora da ação verdadeira, com a câmera ou o público pelos lados afora. Na vida, como ser humano que pretendo sempre ser, detesto me sentir em um ensaio, testando, treinando, pontuando, lapidando, pra fazer o melhor. Façamos apenas. Se sair o melhor, que bom, senão, paciência, a vida apesar de curta é longa, e tem-se tempo de consertar o que quer que seja.
Essa coisa de: "Marina você tem que tentar outras alternativas para sua vida", definitivamente não me compra, e diante das necessidades, carências e medos que eu tenho, sempre grita mais alto aquela voz que diz que sou movida pelo amor e pela paixão.
Não gosto de ser amiga das pessoas sem admirá-las antes, mas aprendi a definí-las como pessoas queridas em potencial, para não ser tão dura e radical. Não gosto de ensaiar, mas aprendi a procurar render o máximo possível para não assustar muito os diretores. Não gosto de tentar amar alguém sem estar apaixonada, porque a carência e o medo de ser a única solteira na mesa me contamina às vezes, mas aprendi a ter paciência com os que me aparecem.
Por fim, o que ando precisando mudar na minha vida, pra sentir mais paixão, é o lugar onde vivo. Tão ruim como um relacionamento sem paixão é morar em um lugar que não nos desperta muitas fascinações - não posso usar a palavra nenhuma, porque uma ilha com 42 praias, não tem como não fascinar um pouquinho.
Moraria no Rio, ou em Porto Alegre, e muitos se questionam porquê. E eu digo: por paixão. É assim que eu funciono, o que me atrai, o que me fascina, o que faz meu coração palpitar, o que me traz lembranças, o que me comove, é o que se torna válido na minha vida. Ainda tenho tantos lugares pra conhecer, que me parece uma tolice passar o resto da minha vida em um lugar que me traz adormecimento.
Aliás, ainda tenho tanto tempo na minha vida, que não preciso decidir nada com absurda seriedade. Seguir os meus instintos também faz parte da minha paixão, e é para eles que me voltarei agora. Acenderei meus insensos, irei à praia, sairei mais comigo, beberei algumas, conversarei com uns e outros, mas acima de tudo ouvirei minha voz de maneira clara, dizendo não aos medos e carências que tentam negar a mim mesma, e serei, acima de tudo, a pessoa mais apaixonada pelas minhas decisões.
E que venham montantes de palpitações, tirando pra lá essa mesmice careta!!!

Ps: e sim sou uma garotinha complicada, que gosta de não ver somente o óbvio, mas o olhar dos apaixonados é assim, vai longe, em busca das emoções, e quando estas não são óbvias, agente inventa ou procura ao longe.

Ps2: esse caminho pode ser mais difícil, mais árduo, mais complexo, mais chato às vezes, mais imcompreensível para quem está ao lado, mas é certamente, o que mais trará satisfação, porque de resto nunca se poderá dizer que tenha faltado emoção.

Ps3: uffa!!!

No comments: