Friday, July 14, 2006


O que leva alguém a quere ser um ator?

Para muitos esta resposta é fácil e está ao alcance de uma revista sensacionalis que flagra momentos da vida de um famoso. Muita gente não sabe, mas em sua carteira de trabalho deveria vir escrito celebridade, e não ator/atriz. É isso que parte desse povo que se diz ator quer, fama, sucesso e dinheiro. No mais, pouco importa o papel, ou melhor ainda, a preferência é para um papel de "bonitinho", o galã ou a mocinha.
A maioria dessa gente nem mesmo se dá conta que nos núcleos de menos destaque, no personagens mais escondidos é que se esconde, muitas vezes, as pérolas interpretativas. Mas, de fato, pra quem fama quer é melhor ter destaque, e isso o mais rápido possível.
Tem quem queira ser ator porque gosta mesmo, e sai em busca da carreira. Quanto sacrifício. Quanto!!! A maioria que ama atuar, geralmente sonha em ser grande no teatro e no cinema e corre pra televisão pra ganhar dindin, mas sem menosprezar, porque há lá bons papéis também. O problema é que televisão quer gente muito bonita - embora dizem estar mudando, tenho lá minhas dúvidas. E é uma beleza que não tem limites. Então meu caro, não basta ser bom, é preciso ter uma carcaça brilhante. Existem ecxessões, mas aí geralmente estamos falando dos grandes gênios, que mesmo longe do padrão de beleza são ovacionados pelo público, tamanho o desempenho.
Tamanha a subjetividade deste raio de caminho, que não me assusta ver tanto ator desempregado ou virando outra "coisa". É preciso mais que ser bom, apreender técnica, estudar e até ser bonito. É a tal da luz? Talvez, mas chamaria de vocação, aquela que faz os olhos brilharem, que eleva o talento a última potência, que mergulha a persistência em baldes de formol e que faz a esperança nunca morrer. Vocação é tudo neste raio de profissão. E prepare-se, porque se num dia de teste seu nariz é grande demais, no outro você é muito bonito e não dá para o papel. Pode?

Marina Monteiro (atriz)

No comments: